quarta-feira, 30 de novembro de 2011

#poesiadeasfalto Faixa branca

Parei na calçada,
em frente as faixas
olhei para os lados
prossegui caminhada

Pisei na primeira
senti sua textura
sem parar travessia
um pouco macia.

De todas as faixas,
uma ascendia
a da ponta era opaca
de fato sumia.

Já fora pisada
por vezes usada
por pneus e peles,
sua história contava.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Expresse-se